terça-feira, 23 de julho de 2013

Os Cebolas, as lendas e os mitos VI

Ganhando uma “butija”

Desde criança sempre escutei história que fulano ou sicrano ganhou uma botija (o pessoal sempre pronuncia “butija”, com “U”), alguns tinham coragem de ir buscar e já outros!.

Para quem não conhece bem o que é “ganhar uma botija”, é bom saber primeiro o que é uma botija, para entender por que a grande maioria das pessoas se negaram a querer receber esse prêmio.

Uma botija, onde nasci e fui criado (Itabaiana-SE), é um pote cheio de moedas de ouro e em outras regiões e até povoados do mesmo município, uma botija, significa que a pessoas foi contemplada com algum valor em dinheiro. Lembrar que esse conceito muda de uma região para outra. Em algumas regiões, botija, significa simplesmente um vaso de barro. Alias, esse conceito de vaso de barro é o encontrado na maioria dos dicionários e foi o que eu aprendi na escola!

O interessante é como surgiu esse tesouro e como a pessoa é contemplada. Segundo os moradores da região, uma botija é a riqueza que algumas pessoas juntou durante toda a vida, guardava escondido em algum lugar seguro e morreu sem poder usufruir das economias que conseguiu realizar. Como a pessoa, depois de morta, se vê na impossibilidade de se utilizar das riquezas acumuladas, ela escolhe alguém, que esteja em vida, e oferece o tesouro para que a mesma usufrua.

A pessoa pode ser contemplada a receber uma botija de duas maneiras:

a) a pessoa sonha com o falecido e neste sonho o falecido mostra o local onde está depositado a famosa botija;

b) o falecido volta em forma de “alma penada” (fantasma) e passa a aparecer para a pessoa escolhida e se a pessoa não se apavorar (não mostrar medo) com a dita alma penada, a mesma irá mostra o local onde escondeu o precioso tesouro.

Mas, a pessoa pra ir buscar a botija, ao qual contemplada, tem de observar algumas regras:

a) a pessoa terá de ir a partir da meia noite;

b) não poderá levar nenhum acompanhante.

A ideia da botija ser um pote de ouro é porque o surgimento,  dessa lenda, se deu muitos tempos atrás e é bom lembrar, que essa lenda existe desde os primórdios da colonização brasileira e naquela época, uma das maneiras se se acumular riqueza, era guardar as moedas feitas de ouro, guardadas em um pote e depois enterradas em locais escondidos (secretos) para a devida segurança contra furtos.

Antônio Carlos Vieira
Licenciatura Plena - Geografia -UFS

TEXTOS RELACIONADOS:
Os Cebolas, as lendas e os mitos I - Santo Antônio - O Santo Fujão
Os Cebolas as Lendas e os mitos II - O Carneiro de Ouro
Os Cebolas as Lendas e os mitos III - As Minas de Ouro e Prata
Os Cebolas as Lendas e os mitos IV- A cidade poderia se acabar debaixo dágua!
Os Cebolas as Lendas e os mitos V - O Mito do Pesadelo
Os Cebolas as Lendas e os mitos VI - Ganhando uma Botija
Os Cebolas as Lendas e os mitos VII -Lampião nunca esteve aqui!
Os Cebolas, as Lendas e os mitos VIII - A lenda dos raios e das pedras arredondadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário