domingo, 18 de agosto de 2013

A MÁQUINA DE DESAMASSAR CHEQUES

Quando conseguir meu primeiro emprego, aos 22 anos de idade, foi em um banco estadual. Trabalhava fazendo um serviço burocrático, repetitivo e estressante. Mas, aos funcionários novatos, os chamados calouros, eram pregadas peças que de uma certa maneira deixava o ambiente descontraído.

Comecei trabalhando no Setor de Aplicação Financeira e depois fui transferido para o Setor de Compensação de Cheques e foi justamente nesses setores que presenciei uma dessas brincadeiras. Era comum quando se chegava algum funcionário novo se deixar, a cargo do mesmo, a entrega de documentos e entre os setores.

Em várias situações presenciei quando o chefe pegava um pacote enorme e muito pesado e mandava algum desses funcionários entregar o pacote no Setor de Compensação e me lembro perfeitamente da ordem: essa é uma máquina nova de desamassar cheques, vá lá no Setor de Compensação entregar?

Só que, com a informatização, o Setor de Aplicação teve de redistribuir muitos dos funcionários e eu fui parar no Setor de Compensação e foi que descobrir o que era na realidade essa Máquina de Desamassar Cheques. Na realidade era uma pegadinha combinada entre os chefes do setores, quando o chefe do Setor de Compensação desenrolava o pacote, não deixava o entregador ver o conteúdo, somente os demais funcionários e que se via que eram quatro tijolos enormes. O chefe desembrulhava, olhava e depois embrulhava de novo e mandava que fosse levada de volta alegando que a mesma tinha vindo faltando peças!!!

Essa pegadinha durou um certo tempo até que um dos novos funcionários, recém chegado, foi mandado, até o Setor Financeiro, pegar a Máquina de Desamassar Cheques. O mesmo não pestanejou, se levantou e foi cumprir a ordem. Quando voltou com o embrulhou, o chefe olhou e mandou que a levasse de volta alegando que a mesma não tinha sido concertada, O funcionário respondeu que a levaria no dia seguinte por está no final do expediente.


No dia seguinte, o chefe chegou um pouco atrasado, os funcionários tudo se acabando de gargalhadas, que ele perguntou qual era a graça? Foi que o novo funcionário respondeu: é que eu trouxe uma máquina nova pra desamassar os cheques. O mesmo tinha levado um Ferro de Passar Roupas e estava ele a desamassar os cheques.

Foi então que o chefe descobriu como era conhecido o novo funcionário: Paulo Doido!!!!

Antônio Carlos Vieira
Licenciatura Plena - Geografia (UFS)
http://carlos-geografia.blogspot.com
http://debatendo-a-educacao.blogspot.com


2 comentários:

  1. Olá Antonio Carlos,
    Como diz o ditado, uma hora a casa cai. E caiu com um "doido". rsss.

    ResponderExcluir